21 de junho. General Sol

Por Luis Fernando Verissimo

Os russos confiaram a defesa do seu território contra as forças de Napoleão ao general Inverno, que não os decepcionou. Mais do que canhões e fuzis, os invasores foram derrotados pelos seus pés gelados. O próprio imperador, depois da campanha da Rússia, nunca mais foi o mesmo. Continuou uma eminência, mas um eminência com bronquite. E toda vez que tossia era como se tentasse limpar a Rússia do peito. O catarro que puxava vinha das estepes.

Napoleão não podia fungar sem se lembrar da sua humilhação pelo frio. Quando espirrava, a corte fingia que não ouvia, para não constrange-lo. O distraído que dissera “Saúde” era desterrado na hora.

A esperança do Terceiro Mundo ao pegar os países frios neste verão americano era que o general Sol fizesse um trabalho parecido, e os inimigos não levassem para casa mais do que queimaduras e más lembranças. O general Sol está falhando. Romênia, Irlanda, Noruega, Bélgica e Alemanha comportaram-se, sob o sol, como tropicais natos. Já a Colômbia, a Bolívia, o Marrocos e a semi-africana Itália chegaram aos vestiários horrorizados com o calor bárbaro e pedindo compressas frias nas têmporas. A Suécia e Camarões aguentaram o mesmo sol raio a raio.

A Rússia, ontem, chegou a correr mais no segundo tempo do que no primeiro. O sol também não jogou pelo Brasil. Em vez do sol, no entanto, havia uma presença radiante em campo. O astro-rei do time brasileiro – pelo menos ontem – foi Mauro Silva. Jogou mais atrás, aguentou os russos no peito e ainda foi à frente como um Beckenbauer recauchutando em outra pele. Raí não foi tão mal, o que é um grande progresso, e Romário fez o necessário. Mais uns ajustes e estamos prontos.

Curiosamente, a tática usada pelos países frios para fazerem os pobres sentirem o seu próprio sol foi a mesma que os russos usaram contra as tropas de Napoleão, traduzida na sucinta frase “Deixa eles vim!”.

Romênia, Irlanda e Noruega, principalmente, deixaram os adversários se consumirem em passes e se empolgarem com um falso domínio e os derrotaram em contra-ataques, com uma economia de meios de fazer inveja a um franciscano.

A Colômbia, por exemplo, deu um espetáculo de futebol, um olé do começo ao fim, incentivado pela sua torcida. Enquanto isso, nos bastidores, a Romênia ganhava o jogo. Discretamente. Péssima a atuação do sol até agora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here