6 de julho. Provação

A expulsão de Leonardo após nocautear Tab Ramos com uma cotovelada

Por Luis Fernando Verissimo

“E assim deixamos Madagascar, terra de contraste…” Era como terminavam, invariavelmente, aqueles complementos turísticos no cinema, no tempo em que havia complementos no cinema. Ao partirmos para Dallas poderíamos dizer “E assim deixamos a ensolarada San José, terra de nenhum contraste…”

Terra em que todos os dias são iguais e uma nuvem no céu e uma pessoa na rua são eventos municipais. Em que, misteriosamente, desce um avião a cada três minutos no seu aeroporto e não se sabe o que é feito das pessoas que eles trazem. São tragadas pelo vazio, ou transformam-se em automóveis e vão direto para as estradas.

Mas é claro que estou sendo injusto. San José tinha uma alma, nós é que não prestamos atenção. O gerente do nosso hotel, Mr. Poowa, um homem de idade indefinível vindo das ilhas Maurício, não perdeu oportunidade de mostrar que nos amava.

Pertence à fé Bahai, e todas as homenagens que fez aos brasileiros que ocuparam seu hotel durante um mês, e desafiaram com sucesso a lei das probabilidades de acontecer um desastre, incluíam orações e declarações, como ele dizia, “do meu coração para o seu”.

Mr. Poowa não tinha dúvida de que Deus nos encaminhara para o seu hotel. Chegou a fazer uma reunião da comunidade Bahai de San José para nos conhecer, um pouco mais e nos converteria em massa.

San José, afinal, não será apenas a lembrança de uma temporada no deserto, com a seleção do Parreira providenciando as provações bíblicas. No simpático Arena Hotel, pelo menos, houve um contato humano.

E vamo-nos para Dallas. Nós vamos de avião, mas desconfia-se que a seleção, para ser coerente com sua campanha até agora, irá em diligências, atravessando montanhas e terras calcinadas e perseguida pelos índios até o hotel.

O Parreira decidiu que não venceremos apenas esta Copa. Ela será uma lição de vida, uma experiência depuradora que mudará nosso caráter como nação. Uma vitória fácil seria apenas uma glória esportiva a mais, não nos acrescentaria nada. As dificuldades nos tornarão um povo melhor. Mr. Poowa, afinal, estava certo. Deus nos trouxe até aqui por uma razão.

NOTA DA REDAÇÃO

No dia 4 de julho de 1994, o cotovelo direito de Leonardo causou lesões no crânio e no maxilar de Tab Ramos. O impacto não foi apenas físico, mas também profissional. Um dos principais jogadores da então semi-profissional seleção dos Estados Unidos, Ramos perdeu o emprego no Betis, da Espanha. Leonardo foi expulso ainda no primeiro tempo do jogo e depois excluído da Copa de 94 pela FIFA. Mesmo assim, o Brasil conquistou a vitória com um gol de Bebeto aos 28 minutos do segundo tempo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here