Barato na Serra

Por Jaguar

Quem folheia os segundos cadernos da vida e lê os roteiros gastronômicos das sextas-feiras pensa que na região serrana só tem restaurantes chiquérrimos tipo Locanda Della Mimosa, Faraona, Mês Amis Bistrot, Chez Cox, Dical Braconot, Da Zaldini e outros com menus – e preços – que lembram os melhores restaurantes europeus.

Nenhum colunista que se preza, exceto o que vos fala, ousaria incluir lugares onde se bebe e se come bem a preços de boteco.

Quem me deu a dica do bar do “seu” Zé foi o dono de um sofisticado restaurante italiano que adora almoçar lá. As instalações são tão modestas quanto o cartão que o “seu” Zé me deu: Mini Restaurante Nael, possivelmente o primeiro e único mini restaurante do mundo.

Era em Nogueira, agora se mudou para Correias.

Se encontrar Mercedes e outros carrões importados na porta, não se assuste. Por incrível que pareça, tem rico que acha que o mais importante num restaurante é a comida e não a decoração e os salamaleques dos maîtres.

O menu já dá água na boca: linguiça de frango, camarão frito, bolinhos de milho, divinos, rabada, bife c/fritas, carne assada, lombinho recheado, frango ao molho pardo. Os doces são especialíssimos: maria-mole, ambrosia, abóbora, a cerveja Itaipava (que deu uma melhorada) e as outras, cachaça de garrafão, tão mineira quanto o sotaque do “seu” Zé.

– É mineiro de onde?

– Da zona da mata de Caratinga. Pra chegar na cidade são três horas a pé.

O Ziraldo, o caratinguense mais ilustre, vai ficar doido quando for lá. Como quase sempre acontece entre mineiros, vão acabar descobrindo que são primos.

Depois de dúvidas atrozes – carne assada, lombinho recheado, frango ao molho pardo ou rabada? – optamos, minha mulher e eu, pela rabada. Que veio com tudo que tinha direito: polenta, agrião, arroz, feijão e até uma inesperada farofa ao alho. Antes pousaram na nossa mesa doses generosas da cachaça da casa e uma salada com alfaces, cebolas e tomates tão frescos que devem ter vindo horta no fundo da casa, e muita cerveja, devidamente tinindo. Depois, para rematar, maria-mole e ambrosia.

Quem pilota o forno e fogão é dona Alvina. Fomos cumprimenta-la na cozinha depois do espetáculo gastronômico.

– E você, Zé, também se garante num fogão?

– Não sei nem fritar ovo.

Mas as emoções não ficaram nisso. Quando pedimos a nota, toda aquela comedoria saiu mais em conta que um filet num restaurante com sotaque francês. Incroyable!

Mini Restaurante Nael. Rua Castro Alves, 187. Corrêas. Tel. p/f (24) 220-3046

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here